26/01/2021 14h10

Balanço da DIV-Deam aponta quase 2.000 homens autores de violência contra a mulher presos em 2020

Ao longo do ano de 2020, um total de 1.989 homens suspeitos de crimes relacionados a violência contra mulheres foram presos pelas Delegacias que compõem a Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DIV-Deam). Destas, 1.665 foram prisões em flagrante e 324 em cumprimento de mandados de prisão. Os dados fazem parte do balanço anual de ações da unidade prisional, divulgado pela Polícia Civil (PCES).

Em 2020, foram instaurados 6.244 inquéritos policiais, 6.138 inquéritos foram concluídos e relatados, 108 mandados de busca e apreensão foram cumpridos, bem como 8.038 Medidas Protetivas de Urgência (MPU) foram solicitadas à Justiça. Nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deam’s) foram registrados 14.462 Boletins de Ocorrência (BOs), referentes a crimes resultantes de violência doméstica e familiar contra a mulher, e crimes contra a dignidade sexual das mulheres.

A DIV-Deam foi criada em 2018 e, em abril deste ano, completa três anos de atividades.  Sua competência é coordenar as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deams) e a Delegacia de Plantão Especial da Mulher da Região Metropolitana (DPEM-RM). A Divisão possui, ainda, o projeto “Homem que é Homem”, de extrema importância no enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, estruturado por psicólogas e assistentes sociais da PCES. Seu propósito é investir na educação social e na desconstrução de ideais sexistas e machistas de homens autores de violência doméstica, por meio de palestras educativas. Em 2020, novos municípios aderiram ao Projeto, totalizando 15 cidades empenhadas na educação como forma de prevenir a violência doméstica e de gênero.

A delegada chefe da DIV-Deam, Cláudia Dematté, destaca que, desde a criação da Lei Maria da Penha, aumentou o número de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar que estão denunciando seus agressores, e a criação desta divisão no Espírito Santo, é mais uma ferramenta na proteção dos direitos das mulheres.

“As vítimas se sentem mais seguras para denunciar seus agressores e estão procurando as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher para registrarem o Boletim de Ocorrência e solicitar as medidas que a Lei Maria da Penha possibilita. Também devemos levar em conta que, cada vez mais, as mulheres estão se empoderando, tendo ciência dos seus direitos e da rede de proteção, em contrapartida ainda temos homens que não aceitam esse empoderamento e cometem atos absurdos e inaceitáveis de violência contra mulher”, afirmou a delegada Cláudia Dematté.

A delegada destacou ainda que 2020 foi um ano atípico, devido à pandemia do Novo Coronavírus. “Infelizmente, estudos da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam um aumento do número dos casos de violência doméstica e familiar contra a mulher neste período. Entretanto, isso não reflete, necessariamente, na notificação de todos os casos, pois, percebe-se uma possível subnotificação dos registros nesse período. Os fatores que dificultam as vítimas a denunciarem, como medo, vergonha, dependência financeira ou emocional, podem ainda estar mais potencializados em um momento como este”, explicou.

Operações Maria’s

Também foram realizadas pela DIV-Deam, com o apoio da Superintendência de Polícia Interestadual e de Capturas (SUPIC), seis fases da Operação Maria's, destinadas ao enfrentamento da violência contra a mulher, que resultaram em 324 suspeitos presos.

“Toda a equipe da divisão trabalhou com grande empenho para que todas as fases fossem exitosas. Sabemos da importância de debelar a violência contra a mulher e iremos continuar nossas ações, com a mesma dedicação, comprometimento e afinco, em 2021, no sentido de reprimir este tipo de violência, prendendo seus autores, e também prevenir os crimes de violência doméstica e de gênero, por meio de projetos como Homem que é Homem”, afirmou Dematté, destacando ainda a importância de outros órgãos que integram a rede de proteção à mulher vítima de violência, tais como Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria Pública, Secretarias de Saúde e Assistência Social.

Contatos:

  • Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DIV-Deam), atendimento das 8h às 18h: (27) 3227-9410 - Av. Nossa Senhora da Penha, 2270, Santa Luiza, Vitória.

Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deam), atendimento das 8h às 18h:

  • Aracruz – (27) 3256-8186 - Rua Padre Luiz Parenze, 1333, bairro Centro.
  • Cachoeiro de Itapemirim - (28) 3155-5080 (Delegacia Regional) - Rua 25 de Março, 126. 
  • Cariacica – (27) 3136-3118 - BR 262, Km 03, bairro Vera Cruz.
  • Colatina – (27) 3177-7121 - Rua Benjamin Constant, 110, bairro Marista.
  • Guarapari – (27) 3262-7022 - Rua Santo Antônio, 313, bairro Muquiçaba.
  • Linhares - (27) 3264-2537 (Delegacia Regional) - Rua José Candido Durão, s/n, bairro 3 barras.
  • Nova Venécia - 3752-6108 - Av. Vitória, Nº 17, bairro Centro.
  • São Mateus - (27) 3767-8135 (Delegacia Regional) - Rua Eurico Sales, nº 1221 – 1º andar – bairro Boa Vista.
  • Serra - (27) 3328-7217 / (27) 3328-2869 - Rua Sebastião Rodrigues Miranda, 49, bairro Boa Vista II.
  • Venda Nova do Imigrante - (28) 3546-1124 - Rua 29 de Junho, Nº 1945, Bananeiras.
  • Viana – (27) 3255-1171 / (27) 3255-3095 - Avenida Levino Chacon, 149, bairro Centro.
  • Vila Velha – (27) 3388-2481 - Rua Luciano das Neves, 430, Prainha.
  • Vitória – (27) 3137-9115 - Rua Cândido Portinari, s/n, bairro Santa Luíza.
  • Deam Itapemirim - (27) Coronel Marcondes de Souza, 107, Centro.
  • Delegacia de Plantão Especial da Mulher da Região Metropolitana (DPEM) - (27) 3323-4045 - Rua Hermes Curry Carneiro, 350 - bairro Ilha de Santa Maria.
  • Seção de Projetos Educacionais, Prevenção e Estudo da Violência (SPEV)

Email: spev.div.deam@pc.es.gov.br 

Telefone: (27) 3137-9067



Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna - (27) 3137-9024
imprensa.pc@pc.es.gov.br

Atendimento à Imprensa
Olga Samara/ Camila Ferreira

(27) 3636-1536/ (27) 99846-1111/

(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard