13/05/2022 17h15

Dia do Assistente Social é lembrado neste dia 15 de maio

O Dia do Assistente Social será lembrado no próximo dia 15 de maio. O profissional de Assistência Social é responsável por colaborar para o incentivo ao bem-estar social, se dedicando nas lutas pelos direitos humanos e por melhores condições de vida para grupos sociais considerados vulneráveis. Na Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), os assistentes sociais trabalham em diversas unidades policiais.

 

Entre elas estão a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a Delegacia de Atendimento e Proteção ao Idoso (DEPI), Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas (DEPD) e a Divisão de Promoção Social (DPS), provendo um bem para servidores públicos e vítimas que precisam de atendimento.

Integrante dos quadros da instituição, a assistente social Sthéfanie da Penha Silva, de 35 anos, trabalha atualmente na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da Serra. Formada há 14 anos, pela Universidade de Saúde do Espírito Santo, a Emescam, ela destacou a importância desse profissional nas delegacias.


“O assistente social inserido no fluxo de atendimento às vítimas de violência doméstica viabiliza a articulação com os demais serviços da rede de proteção e atendimento à mulher, proporcionando com que haja a superação da situação de violência em que a mulher se encontra. Desta forma, a atenção à mulher não se restringe a um atendimento pontual realizado pela delegacia, mas a mulher passa a contar com suporte técnico profissional complementar, que possibilitará o acesso aos serviços e benefícios que a rede possa dispor”, ressaltou Sthéfanie da Penha Silva.


Já a Divisão de Promoção Social (DPS), faz atendimento interno para os servidores públicos que atuam na Polícia Civil e suas famílias. “O Serviço Social da DPS atuante desde 1993 na PCES desenvolve ações direcionadas à saúde e a qualidade de vida do policial civil e de seus dependentes diretos, além de realizar orientações relativas a direitos previdenciários, como licenças médicas, acidentes de trabalho, doenças ocupacionais e aposentadoria. Destacamos também nossa atuação nos Projetos Saúde do Trabalhador, Serviço Social no Fortalecimento dos Vínculos Familiares, no Programa de Reflexão para a Aposentadoria e DPS Itinerante. Nossa atuação compreende orientar o servidor/familiar, buscando promover reflexões na perspectiva dos direitos, da sua autonomia enquanto ser social. Atualmente nossa equipe é composta por 05 assistentes sociais para atender a toda a demanda dos servidores policiais civis e a de seus familiares”, explicou Nísia Abreu, assistente social da DPS.


Implementado em 2015, o projeto “Meu Parto” tem o objetivo de oferecer assistência humanizada durante o ciclo gravídico-puerperal. Segundo a delegada Inês Loss, chefe da Divisão, apoiar as famílias em um momento tão desafiador é uma forma de valorizar a dedicação dos nossos policiais. Por isso, o projeto se insere no eixo de Valorização do Servidor e está dentro da Missão Institucional. “A equipe do Projeto conta hoje com a psicóloga e consultora de Amamentação, Thaís Aguiar, e a assistente social Ariane Biló. O Projeto já atendeu 67 famílias e, atualmente, cerca de dez gestantes estão sendo acompanhadas”, informou a delegada.

 

Priscila Marcchiori de Mattos, de 32 anos, é mãe de dois filhos e foi contemplada pelo projeto “Meu Parto”, após seu esposo, que era policial civil ativo, falecer por Covid-19. “Após o meu marido falecer, o projeto me ajudou na parte emocional e psicológica. Estava com dois meses de gestação e também tinha contraído Covid-19. O apoio que o projeto nos prestou foi crucial, não só para mim, mas para toda a família que se sentiu amparada”, contou.

Já nas Delegacias de Atendimento e Proteção ao Idoso, de Proteção à Criança e ao Adolescente, e  Especializada de Pessoas Desaparecidas, o assistente social é responsável por agir como um agente mediador e orientador dos conflitos, dando encaminhamento a recursos específicos que servirão para a reorganização da rotina cotidiana.

A necessidade do efetivo no cargo dentro da Polícia Civil serve para o atendimento e o acompanhamento preventivo e informativo permanente a crianças, adolescentes e idosos, público-alvo a ser atendido nessa instituição, tornando, assim, o trabalho eficaz e de qualidade, além de prevenir a reincidência de crimes contra a vida, a honra e aos costumes.

A assistente social Sthéfanie da Penha Silva acrescentou que a Deam da Serra realiza atendimento presencial e presta orientações, por meio do telefone institucional. No entanto, as mulheres podem contar com alguns canais de atendimento, tais como o Disque-Denúncia 180, que é a central de atendimento à mulher instituída pelo Governo Federal, onde a mulher pode receber orientações e também recebem denúncias para averiguação posterior da Polícia Civil.

Há também o SOS Marias, que é uma função inserida no aplicativo 190, instituído pelo Governo do Estado. Além disso, as mulheres podem realizar registro de ocorrência, por meio da Delegacia On-line da Secretaria da Segurança e Defesa Social (Sesp).

 

Texto:  Brenda Corti, estagiária da Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi)

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna – (27) 3137-9024

imprensa.pc@pc.es.gov.br

 

Informações à Imprensa:

Matheus Zardini / Olga Samara  

(27) 3636-1574 / (27) 99297-8693 / (27) 3636-1536 / (27) 99846-1111

comunicapces@gmail.com

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard