15/10/2020 18h27 - Atualizado em 16/10/2020 15h22

Operação Chicago: 49 detidos e mais de R$ 100 mil apreendidos pelas Denarcs do Estado

A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio das Delegacias Especializadas de Narcóticos (Denarcs), deflagrou, no final de setembro, a Operação Chicago. O objetivo desta operação é desarticular organizações criminosas, identificar e prender lideranças e desestabilizar o elo financeiro dessas organizações.

“Essa operação busca interferir na economia do crime, através de ações fundamentadas no tráfico de drogas. Todas as Denarcs do Estado trabalharam ao mesmo tempo. Foram 360 horas de trabalho, tivemos o apoio também da Polícia Militar no interior do Estado, e fizemos grandes apreensões, como R$ 100 mil em dinheiro, 15 quilos de crack, 13 quilos de maconha, além de prisões importantes de traficantes. Foi uma operação altamente exitosa, esta é a primeira fase e, certamente, teremos outras”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

A ação contou com a participação das 1ª e 2ª Denarcs, da Grande Vitória, além das unidades de Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim, Venda Nova do Imigrante, Aracruz, Colatina, Linhares, Nova Venécia e São Mateus, sob a coordenação do Departamento Especializado de Narcóticos. As diligências foram realizadas de forma sigilosa e estratégica, em diversos municípios.

A Operação alcançou resultados importantes relacionados à prisão de suspeitos de envolvimento em organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas. Ao todo, foram 49 detenções realizadas, sendo 22 maiores, presos em cumprimento do mandado de prisão por tráfico de drogas; dois maiores presos em cumprimento de mandado de prisão por outros crimes; 24 maiores presos, e um adolescente apreendido em situação de crime em flagrante.

As equipes cumpriram ainda 78 mandados de busca, que resultaram na apreensão de R$ 100 mil em dinheiro, sete armas, 13 quilos de maconha, 15 quilos de crack, 1.148 comprimidos de ecstasy, 852 unidades de LSD, quatro veículos, além de outros entorpecentes, munições e produtos para embalo e refino de drogas.

Prisões importantes

Em entrevista coletiva à imprensa, nesta quinta-feira (15), os titulares de cada unidade destacaram algumas prisões e apreensões realizadas durante a Operação Chicago. Na Grande Vitória, o titular da 2ª Denarc, delegado Alexandre Falcão falou sobre a prisão em flagrante de um servidor público federal de 31 anos, que traficava entorpecentes em um bairro da área nobre de Vitória.

“Ele morava em um Apart Hotel. Nós já tínhamos as informações de que há três meses um grupo estava repassando uma grande quantidade de drogas, especialmente sintéticas. No momento da prisão, nós identificamos maconha, haxixe, crack, cocaína, bem como grande variedade de substâncias sintéticas, como LSD e ecstasy. Todo esse material estava estocado no apartamento dele”, explicou Alexandre Falcão.

No sul do Estado, a Denarc de Cachoeiro de Itapemirim, com apoio da Polícia Militar (PMES), prendeu 17 pessoas e apreendeu cinco quilos de maconha e três quilos de crack, entre outros itens. “No dia 08 de outubro tivemos a participação da Polícia Militar e efetivamos o cumprimento de 27 mandados de busca e oito mandados de prisão. Nessa quarta-feira (14), nós realizamos a segunda etapa, em que foram efetivados dez mandados de busca e apreensão, bem como cinco mandados de prisão preventiva, além de quatro prisões e flagrante”, relatou o titular da Denarc de Cachoeiro de Itapemirim, delegado Felipe Vivas.

Na região serrana, a Denarc de Venda Nova do Imigrante identificou e prendeu um homem envolvido com o tráfico de drogas do Bairro da Penha. “Devido ao fluxo de informações e a parceria entre as Denarcs, conseguimos identificar e lograr êxito em prendê-lo antes que ele conseguisse alcançar seu objetivo. É um jovem de 18 anos, que saiu daqui de Vitória com passagens por tráfico de drogas, quando menor, e estava lá há cerca de uma ou duas semanas, ou seja, estava há pouco tempo no município tentando formar esse vínculo do tráfico daqui da Capital com o interior”, informou o titular da unidade, delegado Alberto Roque Peres.

No norte, as Denarcs de Linhares, São Mateus e Aracruz participaram da Operação Chicago com importantes prisões e apreensões. “A Denarc de Aracruz cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão que resultaram num importante trabalho para a segurança pública local. Foram apreendidas drogas, foram presos indivíduos considerados perigosos e muitas representações por prisões foram elaboradas e devem sair nos próximos dias”, disse o titular da unidade, delegado Andre Jaretta.

No noroeste, uma ação em Nova Venécia apreendeu mais de 12 quilos de crack. “Foram apreendidos mais de 12 quilos de crack, 20 mil reais, além de outras drogas como cocaína, maconha e armas de fogo. Foram cumpridos diversos mandados de busca e apreensão e de prisão, em parceria com a Polícia Militar. Foi preso em flagrante um indivíduo responsável pela distribuição de drogas na região de Nova Venécia, Boa Esperança, Pinheiros, Montanha, Mucurici e Ponto Belo”, destacou o titular da Denarc de Nova Venécia, delegado Douglas Sperandio.

 

Operação Chicago

A Operação Chicago remete a Escola Sociológica de Chicago, ou Escola de Chicago, que surgiu nos Estados Unidos, na década de 1910, por iniciativa de sociólogos americanos, e que se consagrou por destacar a motivação socioeconômica como fator relevante no processo de criminalização em oposição à ideia de criminoso nato.

 

 

Texto: Camila Ferreira 

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna - (27) 3137-9024

Agente de Polícia Fernanda Pontes

imprensa.pc@pc.es.gov.br

 

Atendimento à Imprensa

Olga Samara/ Camila Ferreira

(27) 3636-1536/ (27) 99846-1111/ (27) 3636-9928 / (27) 99297-8693

comunicapces@gmail.com

Tópicos:
Chicago
2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard