23/11/2018 16h07 - Atualizado em 27/11/2018 12h26

Peritos capixabas ganham prêmio de melhor trabalho na categoria Toxicologia Forense durante Congresso em SP

Seis peritos oficiais criminais (Poc’s) da Polícia Civil do Espírito Santo participaram do 3º Encontro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses e 6º Encontro Nacional de Química Forense, realizado no início deste mês, na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo. Durante o evento, um dos trabalhos apresentados pelos peritos foi premiado como o melhor na Toxicologia Forense.

Com o tema “Morte por Inalação de Gás de Refrigeração R-22: Relato de Caso”, a perita Amanda Vieira apresentou seu trabalho na forma de pôster e venceu em sua categoria. Durante o Congresso também apresentaram trabalhos as peritas Josidéia Mendonça e Mariana Peres, do Laboratório de Toxicologia Forense, além das peritas Bianca Merlo e Quézia Sartori, do Laboratório de Química Forense, e do chefe do Departamento de Laboratório Forense, perito Fabrício Pelição.

“O Congresso é uma forma de adquirir muito conhecimento. Com ele, nós entramos em contato com peritos de todo o Brasil e do mundo. Nós trocamos experiências de casos, nos atualizamos com as palestras. Sem contar que apresentando nosso trabalho, a Polícia Civil do Estado adquire cada vez mais visibilidade. Nosso trabalho já é bastante reconhecido e prestigiado em outros Estados”, relata a perita Mariana Peres.

Entre os trabalhos apresentados está o da perita Bianca Merlo, que aprimorou uma técnica e resultado foi o trabalho "A Análise de Resíduos de Líquidos Inflamáveis Derivados do Petróleo em Amostras Forenses Provenientes de Locais de Incêndio por SPME-GC/MS".

 

Trabalhos apresentados

O chefe do Departamento de Laboratório Forense, o perito Fabrício Pelição, apresentou seu trabalho: A Análise toxicológica forense de intoxicação por cianeto: Relato de dois casos. “Esse trabalho foi realizado em parceria com a Polícia Federal que recorreu aos préstimos do Laboratório de Toxicologia do nosso Estado. Além disso, gerou uma publicação internacional de mesmo título”, informou. Ele também ministrou a palestra “Quantificação de Substâncias de Interesse na Toxicologia Forense”.

Com o título “Análise Toxicológica em Conteúdo Estomacal: Uma Nova Abordagem de Clean-Up, a perita Mariana Peres explicou como desenvolveu seu trabalho e os benefícios dele. “Por ser sujo, o conteúdo estomacal exige que o equipamento precise de mais solventes. Com essa nova abordagem, o produto final é mais limpo e fica mais fácil de identificar substância que possa estar em menor taxa de concentração no órgão. Entre as vantagens da técnica está o fato de que os peritos são menos expostos a produtos tóxicos e que ela diminui a manutenção dos equipamentos”, explicou.

Já Josideia apresentou o trabalho cujo título é: “Drogas Facilitadoras de Abuso Sexual: Importância na Toxicologia Forense”.

Durante o evento também foi lançado o livro “Toxicologia Forense”, que contou com a participação autoral dos peritos Fabrício Pelição, Mariana Peres e Jauber Pissinate. Além deste, durante o congresso também ocorreu o lançamento da 2ª edição do livro “Fundamentos de Química Forense”, que também teve participação autoral dos peritos Fabrício Pelição e Mariana Peres.

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna - (27) 3137-9024

Agente de Polícia Fernanda Pontes

imprensa.pc@pc.es.gov.br

Texto: Fernanda Pontes

 

Atendimento à Imprensa

Olga Samara - (27) 3636-1536/ (27) 99846-1111

Patrick Pereira - (27) 3636-9928/ (27) 99297-8693

comunicapces@gmail.com

 

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard