08/01/2019 19h10 - Atualizado em 21/05/2019 17h36

Polícia Civil conclui inquérito que investigava suspeito de dar golpe de R$10 milhões

A equipe da Delegacia Especializada de Defraudações e Falsificações (Defa), em conjunto com a Interpol, prendeu F.M.T., de 33 anos, na Itália. Ele é suspeito de aplicar golpes ligados ao mercado de ações. Uma única vítima do detido, um empresário do ramo de obras industriais, teve um prejuízo de quase R$10 milhões. A prisão do suspeito ocorreu no último dia 19 de dezembro. Outros três suspeitos de terem envolvimento nos golpes estão sendo investigados.

Os detalhes da operação foram apresentados durante entrevista coletiva nesta tarde desta terça-feira (08). Participaram do atendimento à imprensa: o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda; o chefe do Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic), o delegado Romualdo Gianordolli; o chefe da Divisão de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP), o delegado Fabiano Rosa; e a titular da Delegacia Especializada de Defraudações e Falsificações (Defa), Rhaiana Bremenkamp.

“Mais uma operação bem sucedida da Polícia Civil por meio da Defa, que vem fazendo um belo trabalho na investigação de golpes e fraudes. Esse suspeito atende ao típico padrão de estelionatário: ele se mostra uma pessoa encantadora e envolvente, mas que utiliza seu poder de persuasão e convencimento para atos desonestos”, ressaltou o delegado-geral Arruda.

O golpe

Segundo a titular da Defa, F.M.T. é capixaba e agia como empresário e agente de mercado financeiro. “Ele tinha uma empresa do ramo e foi indicado por um gerente de banco. Eles começaram a manter contato em dezembro de 2014 e o empresário passou um ano acompanhando o trabalho do agente financeiro até confiar nele. Após conquistar a confiança, o suspeito fez a vítima achar que iria investir em ações por meio de dois bancos estrangeiros, um dinamarquês e outro inglês”, explica.

Bremenkamp conta que os investimentos ocorreram entre dezembro de 2015 até março de 2018. “Durante esse tempo, o suspeito mandava relatórios, extratos por email e até chegou a criar um aplicativo de telefone para vítima com as informações das transações. Era tudo falso e tinha o objetivo de fazer o empresário acreditar que tinha controle dos investimentos. O suspeito fraudou diversos documentos, entre procurações e contratos. Ele começou a movimentar dinheiro sem o conhecimento da vítima. Em dezembro de 2017, ela precisou reaver parte do dinheiro e solicitou o resgate ao suspeito. O agente financeiro começou a enrolar, mas marcou de entregar a quantia em março de 2018. Porém, no mês acordado, fugiu pra Itália. Quando então a vítima descobriu que estava com a conta zerada. Depois disso o empresário nos procurou”, acrescentou.

As investigações

Segundo a delegada Rhaiana Bremenkamp, foi solicitada a prisão preventiva do suspeito e a Interpol foi acionada. “Ele estava morando em Milão com a esposa e levava uma vida de luxo quando foi preso pela Interpol. Atualmente, ele está detido na Itália e aguarda extradição. O inquérito foi concluído, agora nós estamos investigando a atuação dos bancos estrangeiros no caso. Outras três pessoas, que podem ter ajudado nos golpes, também estão sendo investigadas, uma delas é o gerente de banco que o indicou à vítima. Essas pessoas já tiveram seus passaportes apreendidos e contas bloqueadas. Nós também solicitamos a quebra do sigilo bancário das contas desses possíveis envolvidos”, afirma.

Bremenkamp conta que o agente financeiro fez outras vítimas. “Nós temos um advogado de São Paulo que também foi vítima dele. O modo de atuação nos dois casos foi idêntico. Essa outra vítima foi prejudicada em, aproximadamente, R$ 315 mil. Hoje de manhã, outra pessoa nos procurou para orientações e informalmente contou que teria sido prejudicada em cerca de US$ 5 milhões de dólares. Agora ela está reunindo documentos para formalizar a denúncia”, contou a delegada.

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna - (27) 3137-9024

Agente de Polícia Fernanda Pontes

imprensa.pc@pc.es.gov.br

 

Atendimento à Imprensa

Olga Samara - (27) 3636-1536/ (27) 99846-1111

Patrick Pereira - (27) 3636-9928/ (27) 99297-8693

comunicapces@gmail.com

Tópicos:
Defa, Deic, DRCCP, delegado-geral
2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard