08/08/2019 16h58 - Atualizado em 08/08/2019 17h01

Polícia Civil prende um e apreende outro suspeito de feminicídio na Serra

Um dos suspeitos ficou com o corpo da vítima por três dias dentro de casa.

A equipe da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Mulher (DHPM) cumpriu o mandado de prisão temporária, nessa quarta-feira (07), de T.H.D.N.S., de 25 anos. Ele é suspeito de feminicídio em desfavor de sua namorada, a uruguaia Ellen Geni Gonzalez Costa, de 29 anos.

O plantonista da 3º Delegacia Regional da Serra, delegado Josafá da Silva, informou que, na manhã de ontem, o suspeito foi até a delegacia e confessou que matou a companheira, na madrugada de domingo (04) para segunda-feira (05).  

Segundo o depoimento, o casal teve uma briga, na casa onde morava, no bairro São Patrício, em Jacaraípe. O detido alegou que agiu em legítima defesa durante a briga.

“Juntamente com a equipe do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa, fomos com o suspeito até a residência do casal, onde encontramos o corpo da vítima coberta por um pano. Segundo o detido, eles ingeriram uma grande quantidade de bebidas alcoólicas durante o domingo e, de madrugada, acabaram brigando porque a vítima exigia atenção enquanto ele jogava no notebook”, relatou o delegado.

A equipe constatou que a casa estava revirada, apontando uma possível briga, e com garrafas de bebidas pelo chão. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), devido aos fortes indícios de feminicídio.

A titular da DHPM, delegada Raffaela Almeida, explicou que, durante a briga, T.H.D.N.S. desferiu um soco no rosto da vítima e, em seguida, a esganou até a morte.

“Após cometer o crime, o detido continuou na casa e agiu normalmente. No dia seguinte ele foi trabalhar e teve que ir ao hospital, onde constatou que quebrou a mão ao agredir a companheira. Depois de três dias e de ter conversado com o pai sobre o ocorrido, ele se entregou para a polícia”, explicou a delegada.  

A DHPM representou pela prisão temporária, que foi deferida pela justiça, e T.H.D.N.S. foi preso e encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Viana (CDPV).

Outro crime

Ainda ontem (08), a DHPM apreendeu um jovem suspeito de matar a ex-companheira a pedradas. A apreensão foi efetuada por meio de mandado de busca e apreensão, no bairro São Patrício, no município da Serra. À época do crime o suspeito tinha 17 anos.

O crime ocorreu no bairro Santo Antônio, no dia 14 de setembro de 2018. O corpo da vítima foi encontrado por moradores da região quatro dias depois, na lagoa Falqueto, localizada no mesmo bairro.

A titular da DHPM relatou que a vítima, Raniely Soares dos Santos, de 15 anos, era ex-companheira do detido. “A motivação do crime foi uma briga entre a vítima e a namorada do detido da época. Ele tomou as dores da companheira e cometeu o crime”, informou Raffaella Almeida.

De acordo com a delegada, o suspeito conduziu a vítima para um terreno baldio, dizendo que manteria relações sexuais com ela e usariam drogas juntos. Ele derrubou a vítima com um golpe mata leão e em seguida a atingiu com pedradas, até a morte. Três dias após o crime o suspeito voltou ao local com um amigo, também adolescente, e jogou o corpo da vítima na lagoa.

“Quando voltou para casa, o suspeito estava totalmente ensanguentado e agiu com naturalidade. Ao questionar o estado dele, a companheira afirmou que ele confessou, rindo, que tinha matado Raniely. Com medo, ela manteve o relacionamento com o detido, mas, meses depois, foi agredida por ele”, disse a delegada.

O detido, atualmente maior de idade, responde por atos infracionais análogos a feminicídio e ocultação de cadáver, e foi encaminhado para o Centro Integrado de Atendimento Socioeducativo (Ciase).

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna

(27) 3137-9024

Agente de Polícia Fernanda Pontes

imprensa.pc@pc.es.gov.br

 

Atendimento à Imprensa

Olga Samara

(27) 3636-1536 / (27) 99846-1111

Camila Ferreira

(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693

comunicapces@gmail.com

 

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard