09/10/2019 18h42

Suspeito de extorquir R$ 300 mil de vítima é preso por policiais civis na Serra

A equipe da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) cumpriu o mandado de prisão temporária de um suspeito de extorquir cerca de R$ 300 mil de um idoso de 66 anos. V.S.N., 39 anos, era amigo da vítima e cometeu o crime durante três anos. Os policiais prenderam o investigado nessa terça-feira (08), no bairro Jardim Tropical, no município da Serra. 

“A vítima compareceu à delegacia neste ano, narrando que estava sendo extorquida desde 2016. As ameaças eram feitas por um aplicativo de mensagens instantâneas. O detido entrou em contato com o homem de 66 anos alegando que teve seu telefone furtado e, para isso, pediu a um delegado da Polícia Civil para recuperar seu telefone. Durante essa recuperação, o delegado teria matado dois criminosos, então era necessário pagar uma quantia em dinheiro para que o suposto delegado fosse absolvido. O detido falou com a vítima que supostamente havia imagens que poderiam incriminá-la pelo crime de pedofilia", relatou o titular da DRCC, delegado Brenno Andrade.

O delegado contou que o suspeito fez ameaças dizendo que a família da vítima poderia ser prejudicada e que também sabia o local onde os seus filhos estudavam. Em função disso, a vítima ficou com medo e começou a realizar os depósitos. Os valores eram depositados de forma pulverizada e, em certo momento, o homem não aguentou mais e procurou a delegacia.

“De acordo com as investigações, o detido foi responsável por criar todos os personagens, sendo eles: o delegado de polícia, um advogado, um juiz e um promotor, que não existiam. Ele se passou por essas pessoas para extorquir o amigo. Segundo a vítima, o crime ocorria desde 2016 e, nesse tempo, o prejuízo chegou a aproximadamente R$ 300 mil”, explicou Andrade.

O responsável pelas investigações acrescentou que, em depoimento, a vítima disse que não cometeu nenhum crime e que não existiam fotos a respeito disso. “As ameaças pesaram devido ao fato da vítima estar com medo de ocorrer algo grave com a família”, esclareceu. O suposto delegado entrou em contato com o homem por um aplicativo de mensagens, além disso, postava fotos da família da vítima.

"A vítima acreditou nas invenções criadas pelo suspeito, tomada pelas ameaças. E não cabe a nós fazermos juízo de valor, pelo fato dela ter acreditado ou não. Nossa obrigação aqui é investigar. O fato foi investigado, chegamos a essa conclusão e mais uma pessoa vai ser indiciada e encaminhada para o poder judiciário O suspeito confessou a autoria e nós temos provas técnicas a respeito do crime. As investigações continuam", ressaltou o titular da DRCC.

V.S.N. foi indiciado pelo crime de extorsão e encaminhado para o Centro de Triagem de Viana (CTV).

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Atendimento à Imprensa (comunicapces@gmail.com

Olga Samara - (27) 3636-1536(27) 99846-1111

Camila Ferreira - (27) 3636-9928 (27) 99297-8693

Comunicação Interna (imprensa.pc@pc.es.gov.br

(27) 3137-9024

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard