29/06/2020 12h16 - Atualizado em 29/06/2020 16h16

Três agressores são detidos na terceira fase da Operação Marias

A Polícia Civil (PCES), por meio da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Div-Deam), realizou na última sexta-feira (26) a terceira edição da operação Marias de 2020, com objetivo de cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em desfavor de suspeitos de crimes relacionados a violência doméstica, além de fiscalizações de medidas protetivas de urgência concedidas a vítimas. O foco principal da edição foi uma saturação qualificada na região de Cariacica, onde dois suspeitos foram detidos e uma pistola calibre 380, com dois carregadores e munições apreendidos. Um outro suspeito foi detido no município da Serra.

 

De acordo com a chefe da Div-Deam, delegada Cláudia De Matte, a prisão de grande importância está relacionada ao crime ocorrido na Serra, em que a vítima foi espancada, estuprada e ameaçada pelo ex-companheiro. "O suspeito não aceitava o fim do relacionamento e perseguia a vítima. Ele entrou na residência dela, agrediu fisicamente, desferiu diversos socos, estrangulou, sufocou e a obrigou a manter relação sexual com ele. Esta vítima, durante o ato sexual, chegou a desfalecer. Quando ela conseguiu pedir socorro, ele a ameaçou e falou que a mataria", disse.

 

A chefe da divisão mandou um recado para esses homens agressores. "Os homens autores de violência que insistem em praticar violência doméstica e familiar contra a mulher ou crimes contra dignidade sexual, eles não saíram impunes. A nossa divisão continuará agindo de maneira firme e contínua para reprimir esses casos de violência doméstica e familiar contra a mulher que no nosso Estado", disse Dematte.

 

A delegada orientou que as vítimas de violência doméstica procurem a polícia, que mesmo em meio a uma pandemia, ela receberá todo o suporte necessário. "Nós orientamos as mulheres que são vítimas de violência doméstica e familiar que não se calem jamais, denuncie desde a primeira violência sofrida, pois dessa forma a Polícia Civil em toda a rede de proteção à mulher vai poder agir e evitar que crimes mais graves. Nós estamos vivendo um momento de pandemia, é tempo de ficar em casa quem pode, mas sem violência contra mulher. Esses casos não saíram impunes e a nossa divisão atuará com todo rigor" frisou.

 

A delegada titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM) de Cariacica, Fernanda Diniz, ressaltou a importância das investigações para a redução desse tipo de crime. "A nossa intenção como Polícia Civil é investigar o crime que já ocorreu e, principalmente, no caso de violência doméstica, punir esse agressor impedindo novos crimes e uma progressão de crimes, de um crime de ameaça virar um feminicídio”, disse.

 

Texto: Olga Samara

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Comunicação Interna - (27) 3137-9024

Agente de Polícia Fernanda Pontes

imprensa.pc@pc.es.gov.br

 

Atendimento à Imprensa

Olga Samara/ Camila Ferreira
(27) 3636-1536/ (27) 99846-1111/ (27) 3636-9928 / (27) 99297-8693

comunicapces@gmail.com

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard